Objetivo

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que aproximadamente 80% da população mundial irá apresentar algum desconforto na coluna no decorrer da vida. Devido esta alta taxa, diversos tratamentos são convencionalmente realizados com o intuito de promover a melhora clínica das pessoas que sofrem diariamente com as dores. Entre estes recursos, destacam-se:

 

  • Programas educacionais;
  • Tratamentos conservadores (entre eles fisioterapia);
  • Intervenções medicamentosas e cirúrgicas.

 

Porém, o grande problema destas intervenções está na sua eficácia. Será mesmo que todos os tratamentos são eficientes para reduzir as dores na coluna?

Um dos tratamentos mais utilizados no dia-a-dia é o uso de medicamentos. Quem nunca tomou um “remedinho” quando a lombar está em crise? Você sabia que a grande maioria dos medicamentos que ingerimos, entre eles anti-inflamatórios, relaxantes musculares e analgésicos, não apresentam nenhuma evidência de melhora para as pessoas que sofrem com dor ciática? Ou seja, tomar uma pílula com farinha (que não serve para nada) e tomar estes medicamentos tem o mesmo resultado, nenhum. E este dado não é o mais assustador, além de não apresentar eficácia, 30% das pessoas que ingerem estes medicamentos ainda desenvolvem alguma reação adversa. Então estes medicamentos acabam se tornando os “bonzinhos ou os vilões” do nosso corpo?

Uma vez que as dores se tornam mais frequentes e nos impossibilita de realizarmos nossos afazeres do dia-a-dia, acabamos aceitando realizar qualquer tipo intervenção por mais agressiva que seja, visando a diminuição da dor e assim voltar ter uma vida normal. Estudos realizados por pesquisadores norte-americanos, tiveram como objetivo analisar os resultados de pacientes submetidos a cirurgias de coluna e comparar com os resultados de pacientes que realizaram fisioterapia com técnicas comprovadas cientificamente. Ao final do estudo tiveram um resultado surpreendente, realizar cirurgia e fazer fisioterapia de boa qualidade tem os mesmos resultados Porém nas cirurgias temos altos custos e riscos envolvidos, enquanto a fisioterapia apresenta um custo muito menor com baixo risco.

Quando falamos em fisioterapia o primeiro pensamento que vem na cabeça, são “choquinhos”, mas nem eles acabam escapando da comprovação científica. Hoje sabemos que quando realizamos a eletroanalgesia (o “choquinho”) como forma isolada de tratamento, não apresenta nenhuma comprovação, na verdade você está perdendo seu tempo e dinheiro.

Estes dados são importantes, uma vez que o objetivo deste site, é transmitir informações referentes a tratamentos eficazes, para as pessoas que sofrem de dores na coluna.

Marco Aurélio Nemitalla Added
Marco Aurélio Nemitalla Added
Fisioterapeuta especialista no trato da coluna. CREFITO - 3/174706 - F Ver Currículo Lattes